EBD – Lição 09 – Hulda, A Mulher que Estava no Lugar Certo

Por 2 Comments
Untitled

LIÇÃO 09

HULDA, A MULHER QUE ESTAVA NO LUGAR CERTO

28 de maio de 2017

Professor Alberto

TEXTO ÁUREO

 

“Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá.” (2 Cr 34.24)

VERDADE PRÁTICA

 

Quando o povo se corrompe, Deus levanta homens e mulheres como instrumentos de advertência contra o pecado.

 

COMENTÁRIO DO TEXTO ÁUREO

 

“Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá.” (2 Cr 34.24)

O contexto do nosso texto áureo está no capítulo 34 do Segundo Livro das Crônicas, especificamente a partir do versículo 22 até 29, quando Hulda, a profetisa, prediz a ruína de Jerusalém. Passagem similar do nosso texto áureo (2 Cr 34.24) está registrada no capítulo 22 e versículo 16 do Segundo Livro dos Reis.

Nos versículos 1 a 7 de 2 Crônicas capítulo 34, temos o relato histórico do início do reinado de Josias, que subiu ao trono na idade de oito anos, e como no oitavo ano do seu reinado, ele abole a idolatria de Judá.

Nos versículos 8 a 21 encontramos a nobre atitude do rei Josias em reparar o templo e como nesta empreitada o sumo sacerdote Hilquias achou o livro da Lei, finalmente entre os versículos 22 a 33, está a descrição da ida do sumo sacerdote Hilquias e os demais enviados do rei Josias, até a profetisa Hulda, o registro dessa profecia e como essas palavras tiveram efeito poderoso no rei Josias que ordena a retirada das abominações de todas as terras sobre seu domínio.

A profetisa Hulda, era profetisa do Senhor. Tanto Jeremias (Jeremias 1.2) quanto Sofonias (Sofonias 1.1), foram contemporâneos do rei Josias, e sem dúvida estavam disponíveis para consulta. Por outro lado, provavelmente Hulda foi lembrada pois tinha grande reputação de exatidão e discernimento espiritual. Talvez houvesse outras razões para sua escolha, que podemos apenas imaginar. O texto sagrado deixa a questão inexplicada. Hulda era esposa de Salum, que estava encarregado do guarda-roupa dos sacerdotes e do rei, ela vivia em Jerusalém, no segundo distrito (a parte mais baixa da cidade). Sua disponibilidade pode ter sido a principal razão pela qual ela foi escolhida, ela estava ali mesmo, fácil de ser encontrada.

“Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá.” (2 Cr 34.24) – Os enviados entraram em contato com Hulda, sem importar qual seria sua resposta. Na sociedade dos hebreus, o rei não era considerado divino, como em algumas outras culturas. Portanto, um profeta estaria mais próximo de Deus do que um rei normalmente estaria. Além disso, um profeta (ou profetisa) tinha a liberdade de falar qualquer mensagem que recebesse, sem temer ser censurado. Hulda chamou o rei de “homem que vos enviou a mim”, e não exibiu nenhuma deferência especial quanto ao “primeiro homem” do reino. Ela não se humilhou porque o rei mandara consultá-la. Ela simplesmente proferiu a Palavra do SENHOR, para ela, o rei era apenas um homem comum. “Dizei ao homem”, pois, parece ser uma maneira um tanto rude de mandar um recado ao rei, mas quando lembramos que ela falava não de si mesma, mas em lugar de SENHOR, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, então entendemos a sua atitude.

Tudo aconteceria conforme fora predito, e pelas razões enumeradas no livro. A síndrome do pecado-julgamento-calamidade operaria uma vez mais, haveria uma temível punição, enviada pelo SENHOR, contra os iníquos habitantes de Judá. Passagens como o capítulo 26 de Levítico ou 28 de Deuteronômio, com as maldições ali proferidas, eram palavras contidas na Lei de Moisés.

A idolatria era a causa principal da destruição do Reino de Judá, mas também devemos lembrar os falsos cultos, que trouxeram toda espécie de pecados e crimes, como os sacrifícios humanos, o demonismo, a necromancia etc. Crimes horríveis como os crimes de Manassés (2º Reis 21.6-7).

Infelizmente o povo de Deus havia queimado incenso aos ídolos, o termo hebraico assim traduzido naquele período apontava consistentemente para a ideia de “sacrifício”. Somente mais tarde (após o cativeiro), essa palavra hebraica adquiriu o sentido de queimar incenso. A ira de Deus foi provada pela apostasia e pelo sincretismo dos reis, os quais arrastaram o povo de Judá para os pecados deles.

A profetisa Hulda falou tal e qual o livro (1º Reis 16.7 e também Isaías 44.9-17). “… a ira de Deus se tinha acendido, e não se apagaria. Foi uma mensagem terrível”, até que se cumpriu toda palavra do Senhor conforme registrado no Segundo Livro das Crônicas capítulo 36 versículos 15 e 16: “E o SENHOR Deus de seus pais lhes enviou a sua palavra pelos seus mensageiros, madrugando e enviando-lhos, porque se compadeceu do seu povo e da sua habitação. Porém zombaram dos mensageiros de Deus, e desprezaram as suas palavras, e escarneceram dos seus profetas, até que o furor do SENHOR subiu tanto, contra o seu povo, que não houve mais nenhum remédio”. (Adaptado).

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

2 Crônicas 34.22-28:

 

22 Então Hilquias, e os enviados do rei, foram ter com a profetiza Hulda, mulher de Salum, filho de Tocate, filho de Harás, guarda das vestimentas ( e habitava ela em Jerusalém na segunda parte ); e falaram-lhe a esse respeito.

23 E ela lhes disse: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim:

24 Assim diz o SENHOR: Eis que trarei mal sobre este lugar, e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá.

25 Porque me deixaram, e queimaram incenso perante outros deuses, para me provocarem à ira com todas as obras das suas mãos; portanto o meu furor se derramou sobre este lugar, e não se apagará.

26 Porém ao rei de Judá, que vos enviou a consultar ao SENHOR, assim lhe direis: Assim diz o SENHOR Deus de Israel, quanto às palavras que ouviste:

27 Porquanto o teu coração se enterneceu, e te humilhaste perante Deus, ouvindo as suas palavras contra este lugar, e contra os seus habitantes, e te humilhaste perante mim, e rasgaste as tuas vestes, e choraste perante mim, também eu te ouvi, diz o SENHOR.

28 Eis que te reunirei a teus pais, e tu serás recolhido ao teu sepulcro em paz, e os teus olhos não verão todo o mal que hei de trazer sobre este lugar e sobre os seus habitantes. E tornaram com esta resposta ao rei.

 

OBJETIVO GERAL

 

Ressaltar que quando o povo se corrompe. Deus levanta homens e mulheres como instrumentos de advertência.

COMENTÁRIO

 

INTRODUÇÃO

 

Professor, os israelitas estavam vivendo um período de grande apostasia quando Josias foi levantado como rei.

O povo de Deus buscava os ídolos com entusiasmo, por isso.

Ele levantou Hulda com uma mensagem contundente.

O fato de Hulda ter sido levantada, pelo Senhor, como profetisa, nos mostra que, embora Israel fosse uma sociedade patriarcal, Deus também usava as mulheres em funções de liderança.

O Senhor usou Miriã como profetisa (Êx 15.20).

Usou Débora para julgar Israel no tempo dos juizes (Jz 4.4) .

Mais uma vez levantou uma mulher, Hulda, para chamar a atenção dos israelitas a respeito dos pecados que vinham cometendo.

Com ousadia e coragem ela confrontou a nação sobre as consequências de seus pecados afim de que se arrependessem e se voltassem para Deus.

O Senhor amava seu povo, por isso iria discipliná-lo.

Só havia uma saída capaz de fazer com que Judá escapasse do juízo iminente, o arrependimento sincero.

Mas, Hulda não profetizou somente o juízo de Deus contra a rebeldia e o pecado, ela também anunciou um tempo de restauração e prosperidade que se daria no reinado de Josias (2 Rs 22.18-20).

 

PONTO CENTRAL

Deus levanta homens e mulheres como instrumentos de advertência.

I. QUEM FOI HULDA

  1. Hulda.

Ela foi uma serva de Deus que demonstrou um caráter firme, decidido e discreto, num tempo em que os reis e os profetas haviam se desviado dos caminhos do Senhor.

O texto em estudo diz que ela era esposa de Salum, filho de Tocate, que era guardador das vestimentas, e habitava em Jerusalém, “na segunda parte” da cidade, ou na “cidade baixa” (2 Rs 22.14).

Untitled2

  1. Atividade que exerceu.

Ela exerceu a atividade de profetisa, num tempo em que esse ofício era predominantemente confiado aos homens.

Tanto Jeremias (Jeremias 1.2), quanto Sofonias (Sofonias 1.1), foram contemporâneos do rei Josias.

Untitled3

Hulda testemunhou a ascensão e queda do reino de Ezequias, e decadência de Judá, nos tempos de Manassés e Amom (2 Cr 33.11-25).

Ela entrou em cena num momento dramático da história do reino de Judá (639-609 a.C).

  1. Deus ouviu Hulda.

Se os outros reis não tomaram conhecimento de seu ministério profético, ela viu Deus trabalhar de forma evidente para ouvir suas orações e levantou um menino para promover mudanças impactantes no reino Judá.

 

SÍNTESE DO TÓPICO I

 

Hulda foi escolhida pelo Senhor para trazer uma mensagem de arrependimento em um tempo de apostasia.

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 

Hulda

“Mulher de Salum, guarda das roupas da corte de Josias, que viveu na cidade baixa de Jerusalém como uma reconhecida profetisa.

Quando Josias sentiu-se condenado pelo livro da lei, encontrado durante a reforma do Templo, enviou oficiais para inquirirem de Deus quanto ao seu significado.

Embora Jeremias fosse contemporâneo, eles foram até Hulda, que profetizou o juízo contra a nação, mas a paz para Josias; ele, então iniciou as reformas (2 Rs 22.14-20)”

(Dicionário Bíblico Wycliffe. l.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 940).

 

II. HULDA VÊ O TEMPO DO AVIVAMENTO

 

  1. Josias promove verdadeiro avivamento.

Aos oito anos de idade, Josias foi posto no trono pelo povo, em resposta aos inimigos de seu pai, permanecendo durante trinta e um anos à frente de Israel (639-609 a.C).

Untitled4

Tornou-se o décimo quinto rei do Reino de Judá (Reino do Sul), e o décimo sétimo rei, considerando o rei Salomão e Davi, que reinaram sobre toda Israel, com capital em Jerusalém.

Untitled5

Contrariando a sequência perversa de idolatria, corrupção e apostasia, com o apoio de conselheiros reais, Josias “[… ] fez o que era reto aos olhos do Senhor e andou nos caminhos de Davi, seu pai, sem se desviar deles nem para a direita nem para a esquerda” (2 Cr 34.2).

  1. Aboliu a idolatria.

Ainda moço, tomou medidas drásticas e corajosas contra a idolatria que tomou conta de Jerusalém e de cidades vizinhas, no oitavo ano de seu reinado (2 Cr 34.3-7).

Para um jovem rei, tomar tais medidas não seria possível se não fosse com respaldo de Deus, e com apoio de homens sérios, que trabalhavam no reino, como parte de um “remanescente fiel”, que buscava o bem do seu povo e não os interesses mesquinhos dos que se aproveitavam do reino para satisfação de seus interesses pessoais, carnais e diabólicos.

  1. Resgatou a Lei do Senhor.

Aos vinte e seis anos de idade, Josias mandou reparar a Casa do Senhor, que tinha sido desprezada pêlos seus antecessores idólatras (2 Cr 34.8-11).

Em meio à restauração física do Templo, o sumo sacerdote Hilquias, através de Safa, fez ciente ao rei que o livro da Lei, que se achava perdido, na casa do Senhor, fora encontrado.

Ao ouvir o conteúdo do livro, o rei rasgou suas vestes, chamou seus assessores, incluindo Safa, que era escrivão, e deu ordem, dizendo: “Ide, consultai ao Senhor, por mim e pêlos que restam em Israel e em Judá, sobre as palavras deste livro que se achou, porque grande é o furor do Senhor, que se derramou sobre nós; porquanto nossos pais não guardaram a palavra do Senhor, para fazerem conforme tudo quanto está escrito neste livro” (2 Cr 34.21).

 

SÍNTESE DO TÓPICO II

 

Hulda também profetizou um tempo de avivamento.

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 

“Josias foi o último dos reis justos de Judá. Já em tenra idade começou a buscar o Senhor com toda a dedicação e, quatro anos mais tarde, começou a expurgar de Judá a religião falsa.

Enquanto o Templo estava sendo restaurado, Hilquias achou o livro da Lei escrito por Moisés.

Surgiu daí um novo compromisso com a Palavra de Deus, todo o país experimentou uma renovação espiritual.

Os profetas Jeremias, Sofonias e Habacuque ajudaram Josias no seu esforço de reconciliar o povo com Deus; quanto à condição espiritual do povo nos tempos de Josias.

O ‘livro da lei’ que Hilquias achou, tratava-se da lei que fora dada ‘pelas mãos de Moisés’; era, sem dúvida, um exemplar do Pentateuco, ou seja: os cinco livros da Bíblia.

Essa descoberta dá testemunho da mão previdente e soberana de Deus, cuidando da sua Palavra inspirada, protegendo-a da destruição pêlos idólatras e apóstatas. Realmente, a inspirada Palavra de Deus escrita é indestrutível”

(Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 609).

 

III. HULDA É USADA POR DEUS

 

  1. A dura mensagem de Deus.

Recebendo a consulta do rei, Hulda foi usada por Deus para profetizar com relação a dois eventos.

O primeiro, prevendo a destruição de Judá por causa da idolatria (2 Rs 22.14-17); o segundo, prevendo restauração e prosperidade, no reinado de Josias (2 Rs 22.18-20).

O sumo sacerdote Hilquias e os demais assessores do rei foram procurar a profetisa Hulda para saber o que iria acontecer com Judá. “E ela lhes disse: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim: Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes […]” (2 Cr 34.23).

Era o prenúncio do cativeiro de Judá, o que aconteceu em 586 a.C.

 

  1. Hulda profetiza para o rei Josias.

Na crise espiritual de Judá e Jerusalém, Deus mostrou à profetisa Hulda que o rei Josias não seguiu os maus caminhos de seus pais, mas humilhou-se diante de Deus.

Disse Hulda, aos mensageiros do rei que Deus viu como Josias se humilhou, quando ouviu a leitura do livro da Lei, e o juízo de Deus sobre Judá.

E que Deus lhe daria livramento e ele desceria ao sepulcro em paz (2 Cr 34.26-28).

Deus teve misericórdia do jovem rei de Judá.

A resposta de Deus a Josias foi altamente confortadora para ele.

 

  1. O efeito da profecia sobre Judá e Jerusalém.

Após ouvir a mensagem profética de Hulda, Josias tomou de pronto algumas medidas que demonstram o seu cuidado e zelo em ouvir a voz de Deus.

Observe:

a) Josias fez uma convocação urgente “a todos os anciãos de Judá e Jerusalém”.

As mudanças numa nação, ou numa igreja, só têm efeito se começarem pela liderança.

b) Ele “subiu à Casa do Senhor com todos os homens de Judá e os habitantes de Jerusalém, e os sacerdotes, e os levitas, e todo o povo, desde o maior até ao menor”.

Depois de reunir todo o povo, “e ele leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro do concerto, que se tinha achado na Casa do Senhor” (2 Cr 34.30).

 

c) Ele fez um concerto com Deus.

“E pôs-se o rei em pé em seu lugar e fez concerto perante o Senhor […] com todo o seu coração e com toda a sua alma, cumprindo as palavras do concerto, que estão escritas naquele livro” (2 Cr 34.31).

 

d) Em seguida, ele levou o povo a fazer o concerto com Deus.

“E fez estar em pé a todos quantos se acharam em Jerusalém e em Benjamim; e os habitantes de Jerusalém fizeram conforme o concerto de Deus, do Deus de seus pais” (2 Cr 34.32).

O verdadeiro líder vai na frente e influencia seus liderados.

 

e) Aboliu por completo a idolatria.

Por fim, Josias usou da autoridade que Deus lhe concedera e determinou que “todas as abominações” fossem tiradas do meio de Israel (2 Cr 34.33).

Depois das reformas necessárias, Josias cumpriu o que Deus determinara, e celebrou a Páscoa do Senhor, em Jerusalém (2 Cr 35.1-19).

 

SÍNTESE DO TÓPICO III

 

Hulda foi usada por Deus para advertir o rei e os israelitas do pecado de apostasia.

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 

“O grupo designado por Josias procurou a profetisa Hulda.

É difícil explicar porque eles desconsideraram servos de Deus como Sofonias, Jeremias ou possivelmente Habacuque, que viviam naquele tempo.

Ela era rara exceção, já que os homens normalmente ocupavam o cargo de profeta. Hulda, presumivelmente, havia se estabelecido como uma confiável porta-voz de Deus.

A sua inspiração profética nesta ocasião é justificativa suficiente para os servos do rei a terem procurado.

A palavra do Senhor através de Hulda consistia de dois pontos principais:

  • A ira de Deus havia sido acesa e o julgamento viria sobre o povo por causa das práticas idólatras;
  • Josias, o rei de Judá não viveria para ver a destruição e a desolação resultante da ira de Deus.

A importância das Escrituras tanto na vida pessoal como nacional é realçada nos versículos de 2 Reis 22.8-20.

O tema desta passagem é ‘trazendo o livro de volta’,

(1) A lei estava perdida dentro do próprio Templo;

(2) Sua repercussão levou ao arrependimento;

(3) O arrependimento leva ao reavivamento;

(4) O reavivamento possibilita a prorrogação da pena, e inclina os corações à busca do perdão”

(Comentário Bíblico Beacon. l.ed. Vol. 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 385).

 

CONHEÇA MAIS

Untitled6

Josias

“A intenção de Deus em trazer desastre sobre Judá como punição é confirmada pela profetisa Hulda.

Porém, a Josias é prometido que o julgamento não acontecerá em seu tempo.

Josias responde a essa palavra de graça ao redobrar seus esforços em direção ao Senhor.

Nesse mesmo ano, Josias conclama seu povo para novamente celebrar a Páscoa, com cerimonia sem igual desde o tempo de Samuel.

Com a idade de 39 anos, o reinado devoto de Josias finaliza subtamente.

Ele é morto lutando contra o faraó Neco que, aparentemente, está correndo para ajudar as forças assírias presentes a serem esmagadas pêlos babilónios.”

Para conhecer mais leia. Guia do Leitor da Bíblia, CPAD, p. 301.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A profetisa Hulda foi uma mulher de Deus, que teve um papel significante para a história de seu povo, ainda que de modo muito passageiro.

Seu papel foi coadjuvante, mas o que importa é a qualidade de seu trabalho e não a extensão de seu ministério.

Soube colocar-se no lugar que Deus lhe reservou, com discrição e humildade.

Mas, no momento certo, entregou a mensagem de condenação de Deus ao povo de Judá, que de modo contumaz, se afastara dos caminhos do Senhor.

Faça o download do arquivo .doc aqui: Baixar

Comentários

  1. Naber de Mesquita disse:

    Que site esplendoroso! PARABÉNS!!!… Que nosso Deus continue lhe abençoando e lhe usando abundantemente, caríssimo Pastor e Professor Alberto !
    Musicalmente em Cristo ;
    Naber Mesquita

    1. Prof. Alberto disse:

      Muitíssimo obrigado Naber. Abraços

Deixe um Comentário