EBD – Lição 04 – Isaque, Um Caráter Pacífico

Por 0 Comment
Untitled

LIÇÃO 04

ISAQUE, UM CARÁTER PACÍFICO

23 de abril de 2017

Professor Alberto

 

 

TEXTO ÁUREO

 

“E disse Deus: Na verdade, Sara tua mulher, te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque; e com ele estabelecerei o meu concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele” (Gn 17.19).

VERDADE PRÁTICA

 

Isaque, segundo filho de Abraão, deixou um exemplo de humildade e submissão a Deus e a seus pais.

 

COMENTÁRIO DO TEXTO ÁUREO

 

“E disse Deus: Na verdade, Sara tua mulher, te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque; e com ele estabelecerei o meu concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele” (Gn 17.19).

 

Nosso texto áureo está no capítulo 17 de Gênesis entre os versículos 15 a 22, contexto onde Deus muda o nome de Sarai.

“…E chamarás o seu nome Isaque; …” – o nome Isaque significa “ele ri”, referindo-se ao fato de Abraão ter rido quando lhe foi revelado que ele teria um filho na sua velhice (Gn 17.17), o que também foi a reação de Sara, a mãe de Isaque (Gn 18.12). E ainda outros sentiram vontade de rir, quando souberam do que estava sucedendo (Gn 21.6). Sara foi repreendida por Deus, por ter rido, o que foi interpretado como sinal de falta de fé no poder de Deus. E, quando ela negou que se tinha rido, foi repreendida novamente. Mas Sara mentiu por motivo de temor. Seja como for, a promessa divina teve cumprimento. Mas, com base nessa circunstância de que várias pessoas riram-se, o menino recebeu o nome de Isaque, «riso», no hebraico. O riso original fora divertido, e não zombeteiro, embora refletindo certa fraqueza de fé. Todavia, nesse riso também podemos perceber o júbilo diante do cumprimento das promessas de Deus, o que, finalmente, resultou na vinda do Messias a este mundo, através da linhagem de Isaque.

Os intérpretes judeus afirmam que seis pessoas são mencionadas no Antigo Testamento cujos nomes lhes foram dados antes do nascimento: Ismael, Isaque, Moisés, Salomão, Josias e o Messias. E o Novo Testamento adiciona a essa lista o nome de João Batista (Lc 1.13). Algumas pessoas dão muita importância aos nomes próprios, pensando que exercem alguma influência sobre o caráter e o destino dos homens. Se isso é verdade, então não se aplica às massas humanas cujos nomes são escolhidos ao acaso, e muito repetidos, no entanto, ao menos, em alguns casos bíblicos revestiam-se de importância.

A história da vida de Isaque aparece nos capitulas vinte e um a vinte e nove do livro de Gênesis. Isaque era filho de Abraão e Sara, e foi o segundo dos três patriarcas hebreus: Abraão, Isaque e Jacó. Era filho gerado por promessa divina e por divina intervenção, o que fez dele um apto símbolo de Cristo, o Filho prometido, redentor, que está conduzindo muitos filhos de Deus à glória.

 

Tipologia

  1. O servo que foi enviado por Abraão a fim de obter esposa para Isaque serve de símbolo de Espírito Santo, que está buscando uma noiva para Cristo. De acordo com esse tipo, Abraão simboliza Deus Pai, e Isaque representa Deus Filho. E a noiva é a Igreja, ver Gn24;

 

  1. O nascimento de Isaque, que foi miraculoso, representa o nascimento virginal do Filho (Gn 21.1,2);
  2. O sacrifício de Isaque simboliza o sacrifício de Jesus Cristo, o Filho de Deus (Rm 8.32). Deus “…não poupou a seu próprio Filho…”. E o Filho de Deus também foi obediente até à morte (Fl 2.5-8), exibindo a mesma atitude que a de Isaque, diante da morte;

 

  1. Isaque, como filho da promessa, também simboliza a todos os filhos da promessa, que, coletivamente, formam a Igreja (Gl 4.28).

 

  1. Os filhos espirituais de Abraão, todos os quais passam através de Isaque, ou seja, a Igreja: “Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa, como Isaque” (Gl 4.28);

 

  1. Isaque também simboliza a nova natureza do crente, nascido “…segundo o Espirito…” (Gl 4.29);

“…e com ele estabelecerei o meu concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele” (Gn 17.19) – aqui está declarada a eleição do povo de Israel, esse é um assunto muito importante para todos os que creem na Bíblia como a Palavra de Deus, pois “eleição” quer dizer que até hoje Israel continua sendo o povo de Deus. Em Romanos 11, o apóstolo Paulo declara: “Digo, pois: porventura, rejeitou Deus o seu povo? De modo nenhum! Porque também eu sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim. Deus não rejeitou o seu povo, a quem antes conheceu…” (Rm 11.1-2b). Em Romanos no capítulo 11 versículos 28 e 29 declara: “Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais. Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento”. Os judeus constituíram-se inimigos do Evangelho por causa dos gentios, mas eles continuaram sendo o povo escolhido, porque a eleição é por causa dos pais, os patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. A eleição, o dom e a vocação de Deus são sem arrependimento. Não estou falando de salvação, mas de eleição. A eleição de Israel é um conselho divino, é irrevogável, assim Deus preservou o povo de Israel, ficaram dispersos por 18 séculos, em todas as nações haviam judeus, mas sobreviveram por que a eleição foi perpétua e sem arrependimento. Na Epístola aos Hebreus capítulo 6 e versículos 17 à 18 lemos: “Pelo que, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento. Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta”. O Conselho de Deus é imutável diz as Escrituras, e as duas coisas imutáveis que a Palavra de Deus se refere são: a primeira é a eleição e a segunda a terra da promessa que Deus prometeu a Abraão, essas duas coisas são imutáveis. Portanto, nosso texto áureo infere uma grandiosa e maravilhosa promessa profética dada pelo próprio Deus.

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Gênesis 26.12-25

12 – E semeou Isaque naquela mesma terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o Senhor o abençoava.

13 – E engrandeceu-se o homem, e ia enriquecendo-se, até que se tornou mui poderoso.

14 – E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejavam.

15 – E todos os poços, que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de seu pai Abraão, os filisteus entulharam e encheram de terra.

16 – Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós; porque muito mais poderoso te tens feito do que nós.

17 – Então Isaque partiu dali e fez o seu acampamento no vale de Gerar, e habitou lá.

18 – E tornou Isaque e cavou os poços de água que cavaram nos dias de Abraão seu pai, e que os filisteus entulharam depois da morte de Abraão, e chamou-os pelos nomes que os chamara seu pai.

19 – Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas.

20 – E os pastores de Gerar porfiaram com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso chamou aquele poço Eseque, porque contenderam com ele.

21 – Então cavaram outro poço, e também porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Sitna.

22 – E partiu dali, e cavou outro poço, e não porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Reobote, e disse: Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra.

23 – Depois subiu dali a Berseba.

24 – E apareceu-lhe o Senhor naquela mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão meu servo.

25 – Então edificou ali um altar, e invocou o nome do Senhor, e armou ali a sua tenda; e os servos de Isaque cavaram ali um poço.

 

 

OBJETIVO GERAL

 

Mostrar que o temperamento de Isaque era pacífico.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

I. Explicar porque Isaque era o filho da promessa;

II. Mostrar que Isaque era um homem abençoado por Deus;

III. Refletir a respeito de algumas lições do caráter de Isaque.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Na lição deste domingo, estudaremos a respeito de Isaque, o filho da promessa.

Deus havia prometido a Abraão um herdeiro, porém sua idade e a da sua esposa já eram bem avançadas.

Continuar esperando o cumprimento de uma promessa a essa altura da vida não parecia nada fácil.

Mas Deus é fiel e vela por sua palavra.

Se Ele fez uma promessa a você, creia que no tempo certo ela se cumprirá.

Abraão e Sara devem ter criado afilho da promessa com muito amor e carinho, contribuindo para desenvolver em Isaque um caráter manso, pacificador e humilde.

Isaque recebeu uma boa educação e decidiu fazer boas escolhas.

Deus o abençoou em todas as áreas, mas, não significa que sua vida foi fácil.

Ele teve de enfrentar a esterilidade de sua esposa, vizinhos invejosos e maus.

Todavia, diante das adversidades, demonstrou ter um caráter pacífico e confiante em Deus.

 

COMENTÁRIO

 

INTRODUÇÃO

 

O caráter de uma pessoa é demonstrado por suas atitudes, testemunho e práticas.

Isaque é um personagem da Bíblia que tem grande significado para a história do povo de Israel.

Seu nome foi dado por Deus mesmo antes do seu nascimento conforme Gênesis 17.19.

O significado de seu nome é interessante: quer dizer “aquele que ri” ou “ele ri”, em alusão à reação de seu pai e de sua mãe, quando o anjo anunciou seu nascimento, sendo seus pais de idade avançadíssima.

 

PONTO CENTRAL

Isaque nos deixou um exemplo de humildade e submissão a Deus e a seus pais.

 

I. ISAQUE, O FILHO DA PROMESSA

 

  1. Promessa de Deus a Abraão.

Para entender o caráter de Isaque, é importante conhecer a história que moldou sua personalidade e forjou o seu caráter.

A história de Isaque ocupa nada menos que nove capítulos do livro de Génesis.

Filho de Abraão e Sara, pela lógica humana seu nascimento seria absolutamente impossível.

O “filho da promessa” teria nascido “fora de tempo”, na concepção dos homens.

Quando Deus chamou Abrão para sair de sua terra e ir para uma terra estranha, fez-lhe promessas gloriosas.

Uma delas era que ele seria “uma grande nação”, quando ele tinha 75 anos (Gn 12.2). Abraão já era idoso, e sua esposa estéril.

Parecia impossível o casal ter um filho. Quanto mais serem pais de uma grande nação.

 

  1. Seu nascimento, um verdadeiro milagre.

Ao ouvir que Sara seria “mãe de nações”, Abraão riu considerando coisa impossível para um homem de 100 anos e uma mulher de 90 (Gn 17.17).

Percebendo Deus o pensamento de Abraão lhe fez saber que Ele é Fiel (Gn 17.19).

Por ter rido, o nome do menino seria Isaque, que significa “riso” ou “aquele que ri”.

Sua mãe, ao saber que teria um filho aos 90 anos (Gn 18.9,10), também não se conteve e, a exemplo do marido, também se riu no seu interior (Gn 18.12).

Abraão aos 100 anos, e Sara com 90, foram pais de um lindo bebé, que causou espanto a todos que souberam daquele milagre.

 

SÍNTESE DO TÓPICO (I)

 

Isaque era o filho da promessa.

 

 

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

 

Idade de Noventa e Nove Anos

Abrão agora estava com noventa e nove anos e Sarai já há muito ultrapassara a idade de ter filhos.

Mas treze anos após o nascimento de Ismael e vinte e quatro anos depois da promessa original de Deus, o Senhor apareceu a Abrão com uma mensagem e exigência.

 

(1) Deus se revelou como o “Deus Todo-Poderoso”, significando que Ele era onipotente e que nada lhe era impossível.

Como Deus Todo-Poderoso, Ele podia cumprir suas promessas, quando na esfera natural tudo dizia ser impossível o seu cumprimento.

Então, seria por um milagre que Deus traria ao mundo o filho prometido a Abrão.

 

(2) Deus ordenou que Abrão andasse diante dEle e que fosse ‘perfeito’.

Assim como a fé de Abrão foi necessária na efetuação do concerto com Deus, assim também um esforço sincero para agradá-lo era agora necessário, para continuação das bênçãos de Deus, segundo o concerto feito.

A fé de Abrão tinha que estar unida à sua obediência (Rm 1.5); senão ele estaria inabilitado para participar dos propósitos eternos de Deus.

Noutras palavras, as promessas e os milagres de Deus serão realizados o seu povo busca viver de maneira irrepreensível, tendo o seu coração voltado para Ele”

(Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 56).

 

II. UM HOMEM ABENÇOADO POR DEUS

 

  1. A prosperidade espiritual.

Depois da morte de seu pai, já casado com Rebeca, e pai de Esaú e Jacó (Gn 25.19-23), Isaque foi buscar abrigo em Gerar, na terra dos filisteus, para escapar da fome que ocorreu onde morava.

Ali, Deus lhe falou que não descesse ao Egito.“[…] em tua semente serão benditas todas as nações da terra, porquanto Abraão obedeceu ã minha voz e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis. Assim, habitou Isaque em Gerar” (Gn 26.4-6).

 

  1. A bênção divina é passada de pai para filho.

A bênção de Abraão foi transferida para Isaque, não pela hereditariedade em si, mas pela sua fidelidade a Deus.

Seu caráter, demonstrado em sua conduta, agradou a Deus.

E ele prosperou espiritualmente.

 

 

  1. A prosperidade material.

“E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o SENHOR o abençoava” (Gn 26.12).

Este é o segredo da vida de Isaque.

Ele era abençoado por Deus. Deus dá bênçãos espirituais e também materiais, quando o homem obedece à sua voz. A produção dos seus campos lhe deu cem por cento de colheita (Gn 26.12).

É preciso entender que a prosperidade material não é o objetivo da vida cristã, como propalam os adeptos da falsa “teologia da prosperidade”.

Mas Deus promete abrir “as janelas do céu” e derramar grande abundância; repreender “o devorador” e fazer as nações perceberem que seu povo é bem-aventurado, para quem é fiel nos dízimos e nas ofertas (Ml 3.10-12).

 

 

SÍNTESE DO TÓPICO (II)

 

Isaque era um homem abençoado por Deus.

 

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 

“Em uma família de poderosos empreendedores, Isaque era do tipo quieto, que cuida apenas de sua vida, até que foi especificamente chamado para agir.

Ele foi o filho único e protegido, desde o momento em que Sara se livrou de Ismael, e até que Abraão arranjou seu casamento com Rebeca.

Em sua própria família, Isaque tinha a posição patriarcal, mas Rebeca tinha o poder.

E em vez de defender suas convicções, Isaque achou mais fácil fazer concessões ou mentir, para evitar confrontos.

Apesar desses defeitos, Isaque fazia parte do plano de Deus”

(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 44).

 

QUALIDADES E REALIZAÇÕES

 

LIÇÕES DE SUA VIDA

 

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS

 

Foi o primeiro des­cendente de Abraão, e o cumprimento da promessa que Deus havia feito.

 

Paciência frequentemente traz recompensa.

 

Locais: Vários luga­res na parte sul da Palestina, incluído Berseba (Gn 26.23).

 

Demonstrou grande paciência.

 

Deus cumpre suas promessas. Ele permanece fiel, embora frequentemente nos mostre­mos incrédulos.

 

Ocupação: Rico pro­prietário de gado.

 

 

 

Ter favoritos é uma maneira garantida de provocar confli­tos familiares.

 

Parentes: Pais, Abraão e Sara. Meio irmão: Ismael. Espo­sa: Rebeca. Filhos gémeos: Jacó e Esaú

CONHEÇA MAIS

Untitled2

“Isaque”

O nome dado por Deus antes do nascimento da criança (Gn 17.19) significa ‘ele ri’, ‘aquele que ri’, ou simplesmente ‘riso’.

Nada é conhecido sobre os dias da infância de Isaque.

Em seguida, vemo-lo grande e forte o suficiente para carregar a madeira para o fogo do altar subindo a montanha, não sabendo que ele mesmo seria colocado no altar.

A experiência de ter sido amarrado como uma vítima de sacrifício e então liberto pela intervenção divina deve ter afetado profundamente toda a sua vida.”

Para conhecer mais leia, Dicionário Bíblico Wycliffe, CPAD, p. 989.

 

III. LIÇÕES DO CARÁTER DE ISAQUE

 

  1. Um homem esforçado e trabalhador

A prosperidade que Deus concedeu a Isaque chamou a atenção dos filisteus.

A bênção de Deus era tão grande que incomodava os filisteus (Gn 26.15,16).

Há pessoas a quem Deus abençoa e os adversários ficam com inveja, desejando o mal aos servos de Deus.

Mas a maldição não alcança os que são fiéis a Deus.

Balaão foi convocado para amaldiçoar os filhos de Israel.

Mas não conseguiu. “Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa?” (Nm 23.8).

Deus converteu a maldição em bênção (Ne 13.2 b; Pv 10.22).

 

  1. O caráter pacífico de Isaque.

Ao sofrer terrível oposição dos invejosos e ser aconselhado a sair do lugar onde prosperara, Isaque não fez questão alguma.

Foi habitar “no vale de Ge­rar” (Gn 26.17).

Honrando o nome e a memória do seu pai, Isaque reabriu os poços que seu pai abrira e foram tapados pelos filisteus, e chamou os poços com os mesmos nomes dados por Abraão (Gn 26.18).

Os pastores de Gerar questionaram os outros poços que Isaque abrira, mas ele não os confrontou (Gn 26.19,21).

 

  1. Um caráter resiliente.

Após perder a posse de dois poços, Isaque não desistiu.

Mais do que resistente, ele foi resiliente.

Soube enfrentar as oposições sem se exasperar. Soube praticar a longanimidade (Gl 5.22).

Continuou mandando abrir poços: “E partiu dali e cavou outro poço; e não porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Reobote e disse: Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra” (Gn 26.22,23).

Era o “poço do alargamento” concedido por Deus.

Livre da contenda, Isaque “subiu dali a Berseba,” (Gn 26.28,29).

Ali, Isaque e Abimeleque, rei de Gerar, fizeram um juramento de que seriam amistosos. Daí, Berseba significar “juramento”, ou “poço do juramento.

Em meio a essas experiências, “[…] apareceu-lhe o SE­NHOR naquela mesma noite e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua semente por amor de Abraão, meu servo” (Gn 26.24).

 

  1. Obediência e submissão.

Certamente, esses são os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque.

Ele soube honrar seu pai e sua mãe, como manda o Senhor (Êx 20.12).

A prova mais eloquente desse caráter foi demonstrada, quando Deus falou com Abraão e ordenou que ele oferecesse o seu filho em holocausto (Gn 22.2).

Isaque foi amarrado sobre o altar para o sacrifício, e não se rebelou.

Mas obedeceu. Submeteu-se à vontade do pai.

Deus não permitiu que Abraão o imolasse. E proveu um cordeiro para ser oferecido em seu lugar (Gn 22.11-13).

Uma figura de Cristo oferecido em nosso lugar como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (3o 1.29).

Deus aceitou o gesto de Abraão como realizado pela fé (Hb 11.17-19).

 

SÍNTESE DO TÓPICO (III)

Podemos extrair várias lições do perfil de Isaque.

 

SUBSÍDIO DIDÁTICO

 

Professor, procure enfatizar as características do caráter de Isaque.

Mostre que a sua mansidão “é vista em sua submissão sem resistência a seu pai ao tornar-se o sacrifício sobre o altar de Moriá, e em sua recusa a discutir quando os pastores de Gerar reivindicavam os poços.

Ele possuía uma natureza afetuosa, profundamente ligado à mãe, chorando por sua morte, e sendo depois confortado em seu amor por Rebeca.

Seu espírito mediador pode ter contribuído para seu afeto expansivo.

Ele era um homem que vivia em contato com Deus.

Embora não tenha as visitações dramáticas que foram concedidas a seu pai, Abraão,

Isaque obedeceu aos mandamentos de Deus.

O altar, a tenda e o poço simbolizavam os principais interesses de sua vida”

(Dicionário Bíblico Wycliffe. 1ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 990).

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A Bíblia nos mostra quão importante foi Isaque para história do povo de Deus.

O seu nome se inclui entre os três patriarcas mais citados no Antigo Testamento e também no Novo.

O Deus de Israel é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó.

Que Deus nos abençoe para que nos espelhemos no caráter de Isaque para o fortalecimento da nossa fé no Deus Todo-Poderoso.

 

Faça o download do arquivo .doc aqui: Baixar

Deixe um Comentário